Rodrigo Brand | O Cafajeste
16958
post-template-default,single,single-post,postid-16958,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

O Cafajeste

– Bom dia.

– Bom dia.

– Curtiu?

– Amei.

– E dormiu bem?

– Sim, sua cama é ótima.

– Nossa, eu devo tá uma bruxa.

– Tá linda.

– Cabelo todo embolado, sem maquiagem…

– Prefiro assim.

– Vai aonde?

– Fazer um café. Posso?

– Claro. Deixa que eu– 

– Nada. Eu trago pra você.

 

*sai

 

– Aqui.

– Obrigada.

– De nada.

– Que isso?

– Não gosta?

– Gente… quem não gosta de massagem nos pés? Claro que gosto, adoro, é que…

– O que?

– Nada.

 

– É que eu achei que era…tipo “one night stand” e tals.

– E não pode?

– Pooooode! Claro que pode!!

 

*bebe um pouco de café

 

– É que eu não esperava, não tô acostumada.

– O que?

– Tá ótimo, o café tá ótimo!

– Ah, que bom. Eu tenho que ir.

– Sim. Aqui… posso te perguntar uma coisa?

– Claro.

– Se assim, por um acaso, eu te ligar ou te mandar uma mensagem amanhã ou depois você vai responder?

– Claro que sim.

– PORRA! AÍ VOCÊ ME FODE!!!

– Exatamente.

 

*sai

 

– Filho da puta.

No Comments

Post A Comment